top of page

cacilda do carmo lentini elias (vereadora)


Ocupação – vereadora


Data de Nascimento – 16/07/1922 – São Carlos/SP

Data de Morte – 08/09/1991 (aos 69 anos) em Marília/SP


Natural da cidade de São Carlos, Cacilda do Carmo Lentini Elias foi casada com Jorge Elias e jovens vieram para Tupã.


Rapidamente o casal começou a participar da vida social, assistencial e política da cidade, o que levou Cacilda do Carmo a buscar uma vaga na Câmara Municipal de Tupã, como representante feminina. Concorreu no ano de 1976 e não foi eleita, mas tornou-se suplente, o que a levaria ao cargo três anos depois.


Vereadora

Cacilda assumiu o cargo de vereadora pela primeira vez em 1980, em virtude do falecimento do vereador Joaquim Ribeiro Porto, ocorrido em 27/08/1980, devido a um acidente automobilístico.


Era a 8ª legislatura da Câmara Municipal (1977-1983) e Cacilda, que era a primeira suplente pelo partido ARENA.

Tomou posse no dia 1º de setembro de 1980, permanecendo no cargo até o final da legislatura, em 1983.


A vereadora Cacilda foi eleita para as duas próximas legislaturas, pelos partidos PDS e PTB: 9ª legislatura (1984-1988), tendo ocupado a 1ª secretária da mesa diretora no biênio 1985-1986; 10ª legislatura (1989-1992), tendo ocupado a 1ª secretária da mesa diretora no biênio 1989-1990; e a 2ª secretária da mesa diretora no biênio 1991-1992.


Cacilda ficou conhecida como a vereadora das causas sociais e assistenciais. Participou ativamente da criação da primeira creche de Tupã, da distribuição de sopa as famílias necessitadas, campanhas como SOS e campanha do agasalho.


Constituição Municipal

A vereadora foi integrante da Constituinte Municipal, responsável por elaborar a 1ª Lei Orgânica do Município de Tupã. O documento, também chamado de “Constituição Municipal”, foi promulgado oficialmente no dia 4 de abril de 1990. Cacilda ocupou a cadeira de Primeira Secretária da Mesa do Poder Constituinte. O presidente era o vereador Nelson Teixeira Lacerda.


Problemas de saúde e morte

No ano de 1991, ano de seu falecimento, a vereadora tirou várias licenças do cargo para tratamento de saúde. A primeira foi em 3 de maio a vereadora Cacilda pediu licença de 30 dias por motivo de doença. Em 3 de junho a vereadora solicitou mais 30 dias de licença do cargo de vereadora, também, por motivo de doença.


Em 12 de agosto um novo afastamento, por mais 30 dias, para continuar tratamento de saúde, não retornando mais ao cargo para o qual havia sido eleita pela população de Tupã.


No dia 8 de setembro de 1991, a Vereadora Cacilda do Carmo Lentini Elias faleceu na cidade de Marília, onde estava internada para tratamento dos problemas de saúde que vinha enfrentando. Em seu lugar assumiu o vereador Gorjes Oliveira de Brito, que era seu suplente.


Como homenagem à vereadora Cacilda, a Câmara Municipal nomeou a sala de sessões, que incluem o plenário e o auditório como Sala das Sessões Vereadora Cacilda do Carmo Lentini Elias.


Sites pesquisados:

Câmara Municipal de Tupã: http://www.camaratupa.sp.gov.br/

Jornal Diário – fragmentos da história de Tupã (David de Castro): https://www.diariotupa.com.br/Noticias/noticia.php?fragmentos-da-historia-de-tupa&IdNoticia=38757&IdCategoria=0


71 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page